Católicos e o voto SIM

Votantes inscritos para o referendo sobre a despenalização da IVG: 8.832.628 (Fonte: STAPE, 2007) Abstenções no referendo: 4.981.015 (Fonte: STAPE, 2007) Votos NÃO: 1.539.078 (Fonte: STAPE, 2007) Votos SIM: 2.238.053 (Fonte: STAPE, 2007) Percentagem de portugueses que professam a fé católica: 91,52% (Fonte: Anuário Católico de Portugal, 2006)

Projecção do número de votantes inscritos católicos: 8.083.621 (aplicando a percentagem de católicos ao total dos votante inscritos)

Projecção do número de católicos que votou SIM: 1.563.528 (admitindo, num cenário extremo, que todas as abstenções e votos NÃO são de votantes católicos e subtraindo esses números à projecção do número de votantes inscritos católicos)

Donde se poderia concluir, num mundo em que estas contas estivessem certas, que a grande cisão na sociedade portuguesa não seria entre católicos defensores da vida e ateus defensores da morte, mas entre as diferentes visões que os seguidores da fé católica em Portugal têm sobre o assunto.