Deleite

É ver um responsável da administração pública timorense dizer a funcionários de uma agência internacional que não precisam de mais assessores internacionais, nem de mais estudos, nem de mais relatórios; que o que precisam é de pôr os seus serviços e a sua gente a trabalhar, a procurar o diálogo com as suas comunidades e a trabalhar em conjunto na resolução dos seus problemas.