Demonstrasaun

A decisão de deixar organizar uma manifestação de contestação ao Primeiro-Ministro numa cidade em estado de sítio parece, à primeira vista, um sinal de paralisia cerebral. Contudo, uma análise mais cuidada permite antever que o visado, o Primeiro-Ministro, dificilmente sairá derrotado politicamente seja qual for o desfecho da mesma:

  1. Manifestação pacífica - elogio aos cidadãos pela maturidade democrática e ao Governo que permite a livre expressão mesmo numa altura destas;
  2. Manifestação violenta, controlada pelas forças internacionais - prova de que se trata de um movimento arruaceiro e agradecimento às forças internacionais que estiveram à altura do problema;
  3. Manifestação violenta não controlada pelas forças internacionais - prova de que se trata de um movimento arruaceiro que as forças internacionais, tal como as intituições de segurança e defesa timorenses, não conseguiram controlar.

Posto isto, como quem se vai lixar mais uma vez vai ser o mexilhão, espero que as forças internacionais tenham o bom senso de não deixar entrar os manifestantes em Díli.