Ku dé Ta

Ku dé ta é uma expressão indonésia que quer dizer, pasme-se, golpe de estado, ou seja, uma transcrição fonética directa da expressão francesa coup d’état.

É tambem o nome do restaurante onde fui jantar ontem à noite. Um oásis de cosmopolitismo nesta ilha onde abunda o género de diversão para turistas australianos de xanatos: cerveja a rodos e gipsy kings.

O Ku dé Ta, em Seminyak, é outro campeonato. Nouvelle cuisine meia fusão, carta de vinhos como deve ser, um edifício arranjadinho e uma esplanada voltada para a praia com umas espreguiçadeiras capazes de inibir o movimento durante horas. Tudo acompanhado de uma selecção musical inédita nestas bandas (sem contar com as festas animadas pelo DJ Farfalha): Nouvelle Vague, Shirley Bassey remisturada, Thievery Corporation e, mais para o final da noite, um techno-lounge de muito bom gosto.

Comi brioche d’escargot de entrada, lobster spaghetinni como prato principal e para sobremesa uma bento box, que é uma travessa com seis caixinhas que trazem gelado, fruta variada e palitos doces.

Tudo tão bom e num ambiente tao urbano que até me custou a acreditar. Foi mesmo em grande.

Um gajo às vezes tem que se tratar bem!