Movimento pela igualdade

Sempre que alguém me diz que se vai casar, é costume levar com um “Porquê?” antes do “Felicidades!”. Como nunca simpatizei muito com a instituição casamento, sou muito curioso em relação às motivações que levam as pessoas a casar, sendo que hoje em dia me parece perfeitamente possível ter uma vida completa a dois sem aderir à instituição.

Agora, independentemente da minha antipatia para com o casamento, é bom que a sociedade ajude as pessoas a casar-se, porque a minha opinião sobre o assunto não tem que impedir a procura da felicidade a quem sente que ela passa pelo casamento.

Infelizmente, em Portugal, isso não acontece quando o casal é do mesmo sexo. E isto é grave, porque não há nenhuma razão lógica que possa explicar porque é que o estado retira esse direito à felicidade quando as duas pessoas não são de sexos diferentes.

Subscrevi por isso a petição online do Movimento pela Igualdade e espero que dele possa surgir a dinâmica necessária para repor a justiça no acesso ao casamento civil.