Rescaldo do Sónar

Valeu bem a pena ir ao Sónar 2009. O cenário é óptimo, a organização impecável, a variedade das escolhas musicais surpreendente, o ambiente muito divertido (mesmo com a quantidade de ingleses embriagados presente). Ao contrário do que inicialmente pensava, a existência de dois recintos distintos para os concertos de dia e de noite funciona muito bem. Gostei muito dos concertos de Konono Nº1, Omar Souleyman, Buraka Som Sistema, Alva Noto, Orbital (nunca pensei) e do set do James Murphy com o Pat Mahoney. Gostei menos da Grace Jones, que me pareceu anacrónica, e dos Animal Collective, que pareciam estar a tocar de estômago vazio. A mancha do evento foram os Crystal Castles, cujos técnicos de som rebentaram com o equipamento logo na primeira música e nunca mais conseguiram que se ouvisse o microfone até ao fim. Foi ridículo e foi pena. Fica a sensação final de que o Sónar de Dia foi ligeiramente melhor que o Sónar de Noite e vontade de voltar para o ano.